• 21 2530 2519
  • atendimento@gestomed.com.br

Publicidade em medicina: saiba o que pode e o que não pode

  • Publicidade em medicina: saiba o que pode e o que não pode

    Publicidade em medicina: saiba o que pode e o que não pode

    Em minhas conversas com médicos percebo um desconhecimento generalizado no segmento: a publicidade em medicina. Boa parte desses profissionais tem muito receio em veicular o que faz, pois acredita que existe um proibição velada dessa divulgação. “Regulação” – apresso-me em corrigir – “São coisas bem diferentes!”. E é fundamental para o médico entender essa diferença para que ele possa apresentar seus serviços de forma eficiente e em conformidade com o que é permitido.

     

    Anunciar os serviços é uma prática importante em qualquer segmento. Na medicina isso não é diferente, sobretudo em um momento em que o mercado está sendo redefinido e boa parte dos profissionais médicos quer ter uma dependência menor dos planos de saúde. Se a ideia é depender menos dos convênios, como fazer isso com o nome circulando apenas no “livro de credenciados”?

    Sempre tive muito receio de marketing na área médica, pois sei que o Conselho Federal de Medicina é rigoroso nessa questão e também pois acredito que temos de ter muita responsabilidade nessa questão. Vi, com o tempo, que posso apresentar meus serviços de forma responsável e consciente. Isso fez toda a diferença

    – Dr. Pedro Machado, Médico Cardiologista

    O que pode ser feito, afinal?
    De uma forma bastante resumida é proibido usar expressões que deixem entender que o profissional possui uma técnica ou equipamento com capacidades privilegiadas e que possibilitem resultados garantidos. Vale apresentar o que faz, sua formação e mesmo a estrutura, equipamentos inclusos, que oferece. Não pode é dizer que esses atributos garantem os resultados e a eficácia dos serviços que oferece.

     

    Também é proibido usar fotos (mesmo que autorizadas) de pacientes nos quais realizou algum tipo de procedimento, o famoso “antes e depois”, muito utilizado em especialidades que lidam com estética. Esse tipo de ação foi vedada na última atualização do Conselho Federal de Medicina.

     

    Você pode colocar a tabela de preços que utiliza, mas jamais induzindo à algum tipo de vantagem (melhor relação custoXbenefício do mercado…). E é fundamental que todas as ações de comunicação/publicidade que realize tenham o nome e CRM do médico responsável.

     

    Basicamente esses são os cuidados básicos para publicidade para médicos (clique aqui para acessar o Manual de publicidade médica – resolução CFM no 1.974/11). Apresentar seus serviços, contatos, títulos e diferenciais, sem aludir à uma vantagem, é fundamental em um mercado que está passando por uma transformação radical, com a diminuição do número de pacientes assistidos pelo saúde suplementar.

    Comentar

    Campos obrigatórios *